quarta-feira, 13 de maio de 2009

PETROBRAS

A PETROBRAS não para de fazer travessuras.

Vale-se de seu porte e da importância que tem na economia brasileira, para impor-se como um Estado à parte, orientando-se por seus interesses que desconhecem normas e desdenham de acionistas, inclusive do maior, o Estado brasileiro.

Quando ocupei o cargo de governador do Ceará, tive embates difíceis com a empresa, que foi algumas vezes desleal e insincera. Fatos recentes ilustram o que digo. Vamos a eles:

1- Distribuição de vultosas verbas de patrocínio para festejos juninos a municipios baianos, segundo critérios partidários, através de uma ONG ligada a funcionário da empresa.

2- Elevação do preço do óleo combustível com repercussão no custo das indústrias. Justifica sua atitude informando que a medida visa forçar maior consumo de gás. Acontece que a empresa detém, praticamente, o monopólio dos dois insumos industriais.

3- Uso de artifício para reduzir recolhimento do imposto de renda. A companhia alterou o regime fiscal no meio do exercício, procedimento vedado pelo regulamento da Receita Federal.

A PETROBRAS é uma grande empresa que orgulha os brasileiros, aliás, seus proprietários.

Mais transparência e menos arrogância lhe fariam um bem enorme.

4 comentários:

Anônimo disse...

Tem governo estadual que tambem usam da mesma arrogancia.

Auriberto Cavalcante disse...

É POR ISSO DR. LÚCIO QUE O POVO BRASILEIRO PAGA UM PREÇO MUITO ALTO PELA GASOLINA. NÃO ENTENDO
PORQUE O BRASIL SE DIZ AUTO-SUFICIENTE NA EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO.

Anônimo disse...

O senhor ainda fala como tucano, deve ser também a favor da privatização da Petrobras?

Lúcio Alcântara disse...

Nunca seria a favor da privatização da Petrobrás. Isso não me impede de apontar seus erros.