sábado, 20 de junho de 2009

Rodovias

O Governo do Estado do Ceará anuncia o início de obras para recuperar sua malha viária.

Deverão ser recuperados 45% dos trechos que integram a rede estadual. Do total de R$ 72,5 milhões a serem empregados nas obras, R$ 27,1 milhões virão do Ministério da Integração Nacional.

As fortes chuvas caídas este ano contribuíram para a deterioração de nossas estradas, mas não foram as únicas responsáveis pelo estado a que chegaram.

O atual Governo desativou as residências do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), no interior; transferiu todas as máquinas e equipamentos para Fortaleza, onde muitas permaneceram ao relento; cancelou contratos de manutenção, vindo posteriormente a alocar para esses trabalhos verbas notoriamente insuficientes.

Estava preparado o terreno para o estrago que as chuvas fariam mais tarde.

Ah, ia esquecendo, tudo será feito mediante dispensa de licitação.

Saiba mais no Diário do Nordeste, edição de 17/06/09.

Arrecadação

A arrecadação do Governo Federal cai pelo sétimo mês seguido.

A arrecadação de tributos federais, em maio, foi 14% menor, descontada a inflação ante abril, e 6% em relação à maio de 2008. Em dinheiro, representou R$ 49,83 bilhões a menos nos cofres do Tesouro Nacional.

O que se justifica, em parte, pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e outros tributos federais sobre veículos, eletrodomésticos, motocicletas e material de construção, com o propósito de estimular o consumo e contornar os transtornos decorrentes da crise econômica.

A redução da atividade econômica, caracterizada pelo Produto Interno Bruto (PIB) negativo, em dois trimestres seguidos, completa a explicação para a redução da receita do Governo Federal.

A queda da arrecadação, é refletida nos estados e munícipios que recebem transferências federais constitucionais, em razão da partilha de impostos recolhidos pela União. Portanto, a chiadeira deverá continuar.

Saiba mais no jornal O Estado de S. Paulo, edição de 17/06/09.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

A Dilma e o PAC no Ceará

video

Copa

A Copa é nossa!

Assim um jornal da terra saudou a escolha da cidade de Fortaleza para uma das sub sedes do Campeonato Mundial de 2014.

Tomara que seja mesmo, e não apenas de alguns.

A notícia não deixa de ser auspiciosa, embora menos que o ufanismo orquestrado propaga desenfreado.

Com doze cidades sediando jogos da Copa, surpresa seria Fortaleza, uma das principais cidades do país, estar fora da lista.

A exposição mundial da nossa Capital, os turistas atraídos pela competição, as obras projetadas, que irão gerar empregos e melhorar nossa infraestrutura urbana, são ganhos inquestionáveis assegurados pela escolha feita pela FIFA.

Haverá, portanto, em decorrência das ações a serem desenvolvidas, uma dinamização da nossa economia, um negócio da Copa. O risco é que no seu bojo venham as negociatas da Copa...

Nosso maior ganho com o acontecimento, será o conjunto de obras planejadas preparatórias para o evento. Essas serão permanentes, e assim irão contribuir para tornar melhor a vida urbana.

É certo que muitas delas estavam previstas independentemente da escolha de Fortaleza para sede de jogos do Mundial de 2014. Comunicação ardilosa faz parecer que todos investimentos estão vinculados à realização do evento. E que a fonte dos recursos é o Governo do Estado do Ceará.

Os investimentos à cargo do Governo Federal, por exemplo, via Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), órgão do Ministério dos Transportes (MT), já começam a se concretizar.

Ontem, 17 de junho, com a presença da ministra Dilma Roussef, aqui em Fortaleza, foram expedidas ordens de serviços para obras no sistema viário que atingem montante próximo de R$ 150 milhões.

A sociedade bem que poderia se organizar em torno de um Observatório da Copa do Mundo, para acompanhar, de perto, o que vai se passar até o dia do espetáculo da abertura dos jogos.

Buracos

As estradas e as rodovias de Fortaleza estão cheias de buracos.

De dimensões variadas e origens diversas, infernizam a vida dos que precisam se deslocar em transportes próprios ou públicos.

O buraco na via pública nivela a todos, sem distinção de condição econômica ou classe social.

Agora, fomos surpreendidos por uma forma nova de buraco: o buraco útil.

Pelo menos para os presos que escaparam de cela no prédio da Superintendência de Polícia Civil, localizado no centro da cidade.

Sinal

A TV Sinal, do município cearense de Aracati, está sem sinal. Durante 40 dias estará fora do ar.

A determinação partiu da justiça, que aplicou a pena acrescida de pesada multa, por haver infringido a lei eleitoral.

A cada 15 minutos, é obrigada a informar que o fato se deve à punição imposta pela justiça.

Há contra a mesma emissora processos semelhantes aos que deram margem à condenação, em tramitação na justiça.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Intelectuais

Até que ponto pessoas que mais se arrogaram o direito de dar lições aos outros praticaram as virtudes morais que preconizavam em suas pregações?

Quer dizer, até onde pregoeiros morais se comportaram de forma exemplar enquanto cidadãos comuns? É disso que trata Paul Johnson em sua obra Os Intelectuais, lançamento recente no mercado editorial.

Johnson, historiador inglês, é autor de obras renomadas como a História do Cristianismo e a História dos Judeus, tendo sido ainda diretor da revista New Statesman.

Em seu novo livro, não hesita em abalar a imagem de conceituados intelectuais, expondo as mazelas de suas vidas privadas em contraste com suas reputações públicas.

Misoginia, avareza, inveja da fama alheia, maus filhos, péssimos pais, são atitudes que marcaram personagens conhecidas pela forma como pugnaram em defesa de ideias altruísticas e generosas.

Rousseau, conhecido pela preocupação com a educação de crianças e jovens, forçou a mulher a entregar, sucessivamente, quatro filhos à uma instituição de caridade, para não se dar ao incômodo de os criar.

Marx, que pregava a libertação da classe trabalhadora, nunca pôs os pés numa fábrica, vivia às custas de Engels, era um tirano no lar e não pagava as criadas que o serviam.

Ibsen, pioneiro da emancipação feminina, engravidou uma empregada doméstica e nunca conheceu ou reconheceu o filho.

Brecht, defensor dos direitos humanos, era indiferente à felicidade daqueles que o rodeavam, a começar pelos filhos.

Sartre, idolatrado por certa esquerda solidária, era um poço de egoísmo e um pensador político muito contraditório.

Menciona o autor, ainda, um certo fascínio dos intelectuais pelos ditadores de todos os matizes, aos quais emprestavam o prestígio de sua admiração. É o que chama de a fuga da razão.

Mussolini, Stalin, Hitler, Mao, tiveram sua corte de intelectuais para os louvar e aplaudir.

Daí, a principal conclusão desta obra: o perigo da inteligentzia colocada a serviço da tirania. O pior de todos os despotismos é a tirania das ideias, segundo o autor.

Enfim, é mais fácil falar que fazer. Ou ensinar que praticar. É a lição a tirar das vidas desses famosos, que foram entronizados na história pelo que disseram de público e não pelo que fizeram em suas vidas íntimas.

Saiba mais no Diário de Notícias, edição de 23/05/09.

Amnésia

A estrada que dá acesso às praias cearenses da Costa Oeste está com novas placas sinalizadoras. Indicam a rodovia como CE-085 - Litoral Oeste.

Por descuido ou desconhecimento do órgão responsável, deixa de mencionar sua denominação oficial: Rodovia Governador Waldemar Alcântara.

Assim dispõe lei estadual, originada de proposta de iniciativa do deputado estadual Idemar Citó (PSDB-CE).

Os acostamentos estão cravados de placas promocionais do Governo. O que não há é obra alguma.

Estranho

A empresa Costa Carvalho Construções Ltda foi contratada pelo Governo do Estado do Ceará para fornecer alimentação a órgãos estaduais. A seleção se deu mediante a forma de carta-convite.

Trata-se da modalidade pela qual são convidadas três empresas, escolhidas ao arbítrio do administrador, para apresentarem suas propostas.

São três contratos, para atender a duas escolas e um terceiro sem discriminação do beneficiário, com os valores de R$ 61.828,00, R$ 51.968,00 e R$ 60.885,00.


Fonte: Diário Oficial do Estado (DOE), 07 de maio de 2009, primeiro caderno.