quinta-feira, 26 de junho de 2008

Teatro

Uma boa notícia vem do interior cearense.

Um grupo de teatro do município de Russas, o Oficarte, existente há 17 anos, encena Qorpo Santo: o anjo do absurdo. Trata-se de uma fusão da vida e obra de José Joaquim de Campos Leão, o Qorpo Santo.

Gaúcho, o autor perdeu a lucidez, foi confinado em um hospício no Rio de Janeiro, voltou ao Rio Grande do Sul, insurgiu-se contra o tratamento psiquiátrico, perdeu bens, escreveu peças de teatro, criou uma nova ortografia.

É autor "cult", devido a sua personalidade e temática.

Admira-me que já esteja em Russas.

Parabéns aos integrantes do grupo.

3 comentários:

Célio Ferreira Facó disse...

Falar em teatro, encenações, Ciro Gomes é, de vez em quando, autor de frases INFELICÍSSIMAS; precisa melhorar ainda. Constitui, porém, o máximo de hipocrisia querer ver agora qualquer ataque seu às prostitutas; quis atacar a omissão de Luizianne e grupelho da reeleição, citou, para compor uma metáfora, um problema quase onipresente na Cidade e para cuja solução andam longe de ser suficientes, sequer paliativas, as ações desta atual Prefeitura.

Kilmer Castro disse...

Com relação a Ciro Gomes, me causa espécie que ele já tenha recebido comentários até de "Bruna Surfistinha" como exalta O Povo. Ora, o que tem a dizer que interesse a alguém, uma criatura como aquela? Ciro conseguiu o que queria.

Não entendi sua admiração quanto ao fato daquela peça "já estar em Russas". É preciso perceber que o mundo anda deste tamanhinho.

Para os amantes da boa literatura, fica o lembrete da FLIP, daqui a 5 dias em Paraty. A festa cresce ano a ano e conta com a presença de figuras de expressão como Ariano, Lygia Fagundes Teles, Salman Rushdie e Ruy Castro, além de outros. Este ano, homenagem ao centenário de morte de Machado de Assis.

Joaquim disse...

Tomara que o "mundo deste tamanhinho" em Russas seja mais interessante e instigante que a nudez de Canudos em Quixeramobim...