quinta-feira, 11 de junho de 2009

Festas Juninas

O conceituado jornalista Egídio Serpa, em sua apreciada coluna no jornal Diário do Nordeste, edição de 18/05/09, afirma, a propósito de eventos apoiados pelo Governo do Estado do Ceará, no chamado período junino, existir, na Secretaria de Cultura, vida inteligente.

Faltou acrescentar, pelo menos no que tange às festas juninas, que se instalara lá, antes do atual Governo.

Durante minha administração, foi implantado um criterioso sistema de fomento a essas manifestações, mediante o lançamento de editais, que evitavam favorecimentos na distribuição de verbas.

6 comentários:

Domingos Sávio disse...

Talvez o jornalista não tenha se lembrado que já se arrasta desde o governo anterior.

valerio sobral disse...

é duvidoso o que egidio serpa comenta, seja na sua coluna no DN ou no seu blog...ele nunca deixou de ser porta-voz fa família do governador. ocultar trabalhos realizados em outros gorvernos que não sejam o dos irmaos fg´s nao interessa ao jornalista.

Célio Ferreira Facó disse...

Outra festa quer comemorar o dia dos namorados, quer dizer a amizade-respeito-união de dois que se querem. Ou que apenas estão, ficam agora – não, porém, sem algum apelo de permanência, sobrevivência, eternidade da relação.

Eis o mistério do espírito humano: frágil e breve por estas paisagens da Terra e, contudo, aspirante ao significado e ao ser para sempre. Qual um deus, demiurgo.

Muito já se assinalou o aspecto comercial, marqueteiro da data. Inegável. Certo leva também a conotação da própria existência humana.

Namorados fraternos fossem todos os povos, sempre, para recusar as guerras, o imperialismo e os ódios e manter sua diversidade, identidade cultural.

Namorados respeitosos fossem todos os governantes para com o seu povo, seus eleitores, sua pátria.

Namorados fossem sempre os homens e mulheres que se unem e convivem. E não só os casais de gêneros diversos, mas todos os casais.

Namorados entusiasmados fossem todos os jovens para aceitar e educar-se, mas também romper, recriar, refazer e, assim, melhorar a humanidade. No presente como no futuro.

Namorado fiel fosse cada um para consigo mesmo, para não corromper-se, não entregar-se senão à vida, ao crescimento e à realização das próprias potencialidades.

Namoradas muito éticas fossem todas as indústrias para com o planeta para o não sujar, poluir, matar.

Namorados e namoradas fossem todos. Para com o respeito, as liberdades, a ética, a alegria, o progresso, a paz.

cláudio disse...

Calma Lúcio Alcântara,todo mundo sabe que o Egídio é Chapa Branca foi anos e anos assessor do Ciro Gomes e está no Diario do Nordeste a serviço do governo Cid Gomes, basta ler a coluna dele para saber que é o porta voz do Cid e Ciro Gomes

Kilmer Castro disse...

Quem dizia que o Moroni era carreirista e demagogo, vale a pena dar uma conferida na sua entrevista no link http://www.jangadeiroonline.com.br/aovivo.html.

Um político com o capital eleitoral que ele adquiriu e que abre mão de tudo por um projeto pessoal e voluntário como servir como missionário de sua fé(não remunerado, diga-se de passagem) justifica todas as expectativas que eu sempre depositei nele como cidadão de bem, honesto, verdadeiro e disposto a servir a população até os limites de suas forças(o que era confundido com demagogia).

Boa missão é o que desejo ao nobre gaúcho e, se possível, breve retorno.

Domingos Sávio disse...

Amnéisa. Até o líder do governo atual, nunca cita o nome do ex-governador e sim o governo anterior.