terça-feira, 2 de setembro de 2008

Bengaleiro

Há quatro bengalas no bengaleiro.

Uma está disponível, mas não convém usá-la em público.

Três são exibíveis, mas a exposição está vedada por lei.

23 comentários:

Ivana Maia disse...

Revela-nos esse episódio, Dr. Lúcio.
Confesso que não matei essa.

Edson freitas disse...

Milenar. E enigmático.

João Cesar disse...

Dá-lhe Patrícia!

Anônimo disse...

3 bengalas proibidas:
Lula, Ciro e Cid.
Bengala indesejável: Tasso.
Resta ficar repetindo na televisão: "Todo mundo sabe o que eu e o Ciro fizemos..."

- Sim,sabemos... (Josué de Lima)

Anônimo disse...

Meu palpite para essa charada bengaleira:

Nessa fábula, existem 4 bengalas que a ajudam no seu passinho claudicante inseguro.

A primeira bengala (ou cajado), azul turquesa, não deve ser usada, pois de tão ornada e soberba que é, não atrai compaixão para quem a usa, mas ao contrário desperta revolta e aversão dos que a vêem.

Outros cajados (ou bengalas) são desejáveis, pretensamente mais humildes e adequados, embora sejam poderosas vaidosas bengalas travestidas em dóceis cajados federais e estaduais.

Ela adoraria sair por aí abertamente com um desses cajados, mas... eles já têem outra dona! Que pena!

Moral da história: ou ela aprende a andar sozinha e apruma o passo, ou não andará nunca, pois com bengalas assim não se deve contar!

Ivana Maia

Anônimo disse...

Dr. Lúcio, assim como já houve outra cris escrevendo aqui além da "verdadeira" cris, parece que temos outra Ivana Maia como eu.

Pergunto: por que tanta gente precisa de bengala?!?

Ivana Maia

Anônimo disse...

Lúcio,

Estou adorando as mensagens enigmáticas, porém que todos sabem decifrar. Fazes muito bem. Faça como aquele jogador que sempre dizia: Abaixo do pescoço, tudo é canela. Esse pessoal só merece nosso total repúdio, seja ele manifestado de que forma for.

Ivana Maia disse...

Ora, ora, eu é que sou a Ivana Maia verdadeira. E posso provar isso por antiguidade de postagens no Blog do Lúcio Alcântara.
Não me venham outras Ivanas, por favor!

Kilmer Castro disse...

Ivana Maia e uma bengala. Ou seria uma bengala e Ivana Maia?

Anônimo disse...

Sim, faz tempo mesmo que eu venho postando comentários nesse blog.
Sou eu quem sente falta da "República de São Gonçalo".

Ivana Maia

Anônimo disse...

Só falta o Maia Junior se manifestar e resolver quem é a verdadeira Ivana Maia.

Anônimo disse...

Peraí...assim também já e demais!
A verdadeiríssima Ivana Maia sou eu e não postei nenhuma dessas mensagens que estão aí.
Trata-se, isto sim, de duas impostoras.
Assinado: Ivana Maia (a verdadeira)

Célio Ferreira Facó disse...

Eloqüente metáfora a das bengalas. Sustenta os de passo claudicante, incerto. Poderia ser a dos ventríloquos, a das pernas de pau. Descreve a candidatura sem vida própria. PERIGO abismal deixar agora Fortaleza e Estado nas mãos de uma família, grupelho só. Eis o que “TEM DE SER COMBATIDO pelo cidadão-contribuinte-eleitor”, diz Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, argutamente.

Georgia Pessoa disse...

Esse Célio Ferreira Facó, com toda a educação, é, verdadeiramente, o anti-clímax dessas postagens.
Todos nós vimos falando de "alhos", aí ele entra e vem desfilar seus "bogalhos".
Dá licença, sr. Facó!!!

Kilmer Castro disse...

Ivana Maia (ou quantas Ivanas aqui existam), por qual motivo não convidaram o Célio Facó para a comemoração dos 50000 acessos?

Georgia Pessoa disse...

Que nada, Kilmer, o tal Célio Ferreira Facó, é o primeiro a ser citado no convite que o Lúcio Alcântara faz!

Anônimo disse...

Valha-me Deus!Era só o que faltava por aqui...a "guerra" das "Ivanas"!!!E quem será mesmo a verdadeira,pessoal?Será que na comemoração dos 100.000 acessos elas vão a parecer?Quem sabe assim a gente fique sabendo quem é quem.

Isolda disse...

O Célio Ferreira Facó foi convidado para a comemoração dos 50.000 acessos sim, Kilmer. É só ver lá no post "50 mil acessos", de 21/08/08:

"(...)Célio Ferreira Facó, Augusto, Paulo Marcelo FM, Cris, Ivana Maia, José Sales, Kilmer Castro, Marco, Marcílio S., Reinaldo, Isolda, Lili Trovão, entre outros, e os anônimos, conto com a presença de vocês.(...)"

Aliás, eu discordo da Georgia, com toda a educação também, mas acho que o Célio Ferreira Facó é figura já da estima desse blog.

Sobre esse post das bengalas,dr. Lúcio, achei-o o máximo, inteligente e bem-humorado.

Kilmer Castro disse...

Georgia querida, também discordo sobre a história dos "bogalhos"(não seria "bugalhos"???).

A princípio eu não conseguia terminar de ler nenhum dos posts de nosso nobre Célio Facó devido ao seu estilo "Mestre Yoda" de escrever. Sentia calafrios. Até que um dia, movido pela repulsa, passei a lê-los. Daí em diante percebi a inteligência do nobre blogueiro, sua sagacidade e pertinência, além do que, até hoje ainda não consegui encontrar deslize gramatical que seja em sua escrita. Hoje mesmo pensei tê-lo pego no contrapé quando ele atribuiu a Voltaire a frase "se Deus não existisse precisaria ser inventado". Sempre achei que fosse de Einstein mas, mais uma vez, o danado estava certo.

Me parece que nosso glorioso Lúcio Alcântara tem o dom de instigá-lo mais que outros proprietários de blogs.

Georgia Pessoa disse...

"Bugalhos", sim, meu lindo Kilmer.
Obrigada pela correção.

Kilmer Castro disse...

Obrigado pelo lindo. Corei!

Georgia Pessoa disse...

Adoro homens que coram, Kilmer Castro!

Anônimo disse...

Dr. Lúcio,
Hoje a coluna Comunicado, do DN, comenta este post. O jornalista, anônimo, só identificou três bengalas(Tasso, Lula e Ciro). Tadinho. E ainda ousou colocar um "sic" na expressão "vedada", como se errada. E abaixo, sabichão,corrige: VETADA. Ora, quem não tem conhecimento nem para consumo próprio não pode andar "corrigindo" os outros publicamente.

Vetar e vedar têm a mesma e única origem no latim "vetare", com o significado de "não recomendar, proibir". São formas divergentes, sendo que "vedar" entrou mais cedo no léxico português, no século XIII. "Vetar" entrou no século seguinte.

Parabéns pelo blog.

Paulo Franklin