quinta-feira, 1 de maio de 2008

CPOR

Vi nos jornais que foi inaugurada a nova sede da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS), no antigo quartel do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR), adaptado para a nova finalidade.

O prédio foi adquirido do Exército Brasileiro durante meu Governo, quando, também, foi elaborado o projeto de sua reforma e iniciada a construção. Com a nova administração, a obra foi paralisada, sendo retomada muitos meses depois.

Na reestruturação pela qual vem passando, o Exército desfaz-se de imóveis prescindíveis às suas novas funções, colocando-os à venda.

Assumindo o Governo do Ceará, manifestei ao Comandante da 10ª Região Militar a intenção de adquirir para o Estado, o imóvel que abrigou, durante anos, o CPOR.

Julgava inadequada a ocupação do Palácio da Abolição pela referida Secretaria estadual. Era minha intenção destinar aquele espaço nobre a um centro de ciência e tecnologia, voltado para os jovens, à semelhança do que existe em países desenvolvidos, como exemplo La Villette, cité des sciences et de l' industrie, em Paris.

As novas instalações do órgão de segurança pública cearense, ensejariam a integração progressiva das polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros, a partir de seus comandos, sob a liderança do Secretário de Segurança.

Vivi muitos anos ao lado do CPOR. Na verdade, cheguei ao antigo bairro do Alagadiço com poucos meses de idade, para morar no número 711. E anos depois, no 549 da Avenida Bezerra de Menezes. Ambos endereços, vizinhos de esquina do quartel. As casas ainda existem. A primeira, muito descaracterizada, é hoje uma loja de móveis. A segunda, sobrevive praticamente inalterada, sediando uma entidade de deficientes auditivos.

O CPOR sempre esteve inserido na vida do bairro e integrado à comunidade. Eram freqüentes os desfiles militares e as festas cívicas. Havia, também, vida social, com a exibição semanal de filmes, aos quais a comunidade tinha acesso, constituindo-se um ponto de encontro da juventude do bairro. Era comum nas festas e solenidades, a presença da Miss vencedora dos então prestigiosos concursos de beleza. O Comandante da unidade, junto com o corpo de alunos, equilibravam bem o binômio diversão e treinamento militar.

Por ocasião das formaturas militares e dos exercícios físicos, soldados e alunos sedentos, consumiam quantidades industriais de água gelada, servida pelas empregadas sobre a mureta que separava nossa casa da rua.

Quando o CPOR foi desativado, as instalações serviram a outras finalidades do Exército. Já não havia a alegria jovem e a descontração de outrora, que davam uma feição animada à face austera das instituições militares.

A aquisição do prédio não foi fácil. O que parecia coisa simples, arrastou-se por mais de uma ano.

O Exército, que ocupava o prédio há décadas, não tinha como provar aos burocratas de Brasília que o imóvel lhe pertencia. Até o dia em que o General Chefe do Departamento de Engenharia tomou para si a tarefa de resolver o problema. Conheci-o aqui, em Fortaleza, este ano. É o General Enzo, atual Comandante do Exército Brasileiro.

Não fora minha decisão de comprar o imóvel, seguramente ele teria ido parar nas mãos da iniciativa privada, que ali ergueria torres imensas de apartamentos.

A continuidade administrativa promove o progresso e o desenvolvimento.

12 comentários:

Anônimo disse...

E assim, Lúcio Alcântara vai narrando ao povo do Ceará a história recente do nosso Estado, por ele protagonizada, que, na verdade, têm-se constituído fatos únicos da atual gestão do Governo Cid Gomes. Obrigado, dr. Lúcio, por manteres os atuais condutores do Ceará na imprensa.
Liga o carro, Ivo Gomes!

Anônimo disse...

Pela qualidade das postagens, o Sr. deveria promover uma seleção dos melhores entre os melhores e enfeixá-los num livro.
Os cearenses agradeceriam!!!

david disse...

Parabenizo a iniciativa, Lúcio, se me perdoa a falta de cerimônia.

Foi realmente uma idéia excelente, porque preserva o local com uma finalidade semelhante a original. A arquitetura do prédio é bem característica dos prédios militares do pós IIGM.

Lendo o livro que faz o relatório de sua gestão como prefeito de Fortaleza, que alias é um excelente trabalho, vi que a estética urbanística que você implantou na cidade não foi mantida, e Juraci Magalhães refez várias praças com outra estética, o que acho ser uma agressão ao trabalho do arquiteto, que afinal tem como resultado construtivo uma expressão artística em forma de praça e jardim.

Vejo o caso da Lagoa do Opaia. lamentavel.

Célio Ferreira Facó disse...

Esta continuidade não se dá, porém , em todas as áreas, como devia. VIAGEM NABABESCA DE CID e convidadazinhas. Regina Ribeiro, de O Povo, escreve hoje também para lamentar a ação, reação atabalhoada e tardia do Governador. Texto breve, incisivo, acusatório da tolice deste ato, que já entrou para o anedotário popular e pôs o Ceará, na imprensa nacional, como lugar sempre atrasado, liderado por gente despreparada. Lamenta a “arrogância” da decisão do passeio e a escolha dos acompanhantes (4, entre familiares e conhecidas, sem cargo público). Depois a demora em dar qualquer explicação ao clamor coletivo, que a Cid pareceu, equivocadamente, apenas “demagogia”. “Súditos”, não cidadãos de direitos, é o termo que imagina a jornalista parece ir na cabeça do Governador para referir os habitantes do Estado do Ceará, verdadeiros donos, objeto maior da parco orçamento estadual. Este não deve, NÃO PODE SER DILAPIDADO, em expedientes dispensáveis, pela cara Europa. Muito lamentável também a atitude débil da Assembléia Legislativa, apenas excetuada pelo vigor da reação autenticamente “legislativa” de Heitor Férrer e Adahil Barreto. Ao fim, põe o cerne de toda a celeuma: trata-se agora de impor, consolidar um “modo de governar” o Ceará, que já não pode ser senão constitucional, legal, moral, sem tolerância para a arbitrariedade e o improviso. A “gestão político-administrativa”, seja quem for o mandatário, não pode prescindir do respeito às leis. Por todos.

Célio Ferreira Facó disse...

De notar a incrível pobreza, VACUIDADE DOS TEMPOS ATUAIS. A Política, que para Gramsci era arte e ciência, não se faz nestes tempos hodiernos quase senão com a propaganda, como a aceitação de nova marca de bolacha ou a introdução de novo hábito de consumo no gosto popular. Ver as incríveis parcelas do orçamento público destinado à publicidade. Candidatos à Política, que outrora mediam-se, cresciam pelo talento e o preparo intelectual, além do vigor moral e a firme determinação de servir à coletividade, hoje não se compõem, avaliam-se, impõem-se senão como marca comercial, fruto da produção em série de alguma agência de Marketing. Esta terá sobre as pranchetas o projetinho de promover o candidato X ao cargo Z ou colocar nova marca de papel higiênico no gosto da classe tal. Maquiavel compôs outrora, com requinte de gênio e sutileza, um manual de comportamento político do Príncipe, quer dizer, do governante. Vivesse hoje, não teria senão de fazer regras breves sobre dissimulação e promoção do faturamento. De forma que os candidatos, os políticos, pelo geral, já não falam a concidadãos, mas a “consumidores” do seu nome. Assim também os partidos. Quase todos no afã de compor uma democracia de agendas rentáveis. Nada disso colabora para o progresso da humanidade.

João Paulo disse...

Dr. Lúcio este seu blog é uma verdadeira aula de política pois temos a oportunidade de conhecer através dos seus relatos a história política do Ceará.

Parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

Dr. Lúcio,

Depois de longa ausência, escrevi hoje (4/5) este comentário no blog do Eliomar, sobre artigo do Waldemar Menezes em que ele põe panos quentes no caso do jatinho e, como sempre, coloca a culpa, vejam só, no "exagero da midia". Como cito seu nome, transcrevo aqui também:

"Uma frase explica tudo, e é um retrato fiel da tentativa do articulista de minimizar a situação, ao ver exagero na abordagem da midia no caso jatinho/sogra:

"O “ROUBA, MAS FAZ”, uma derivação da ditadura, cedeu lugar “ao ROUBA, MAS É DE ESQUERDA”."

É isso o que acontece. Como um comentário de anônimo acima bem define, fosse o perdulário no caso do jatinho o ex-governador Lúcio Alcântara, o Sr. Waldemar já teria vomitado sua ira e conclamado as forças do além pra punir o que ele hoje chama eufemisticamente de "episódio do aluguel do jatinho e da carona".

Essa é a conhecida prática da esquerda de relativizar seus delitos. Como fazem ao exagero, ao tentar justificar os genocídios cometidos por Stalin, Mao Tse-tung e Pol Pot, ou ao mistificar tiranos como Fidel Castro.

O papel da imprensa é esse: denunciar. E a imprensa investigativa tem contribuído demais para a manutenção da democracia no país, ao trabalhar para que abusos e delitos sejam denunciados, o que de certa forma ajuda a frear a impunidade, chaga aberta nos atuais Poderes da República.

Falar que "não há ainda nenhum pronunciamento dos órgãos oficiais encarregados de monitorar os gastos do governo" é querer justificar o injustificável. É uma tentativa de ofuscar os preceitos da Constituição Federal de 1988, que dispõe em seu art. 37 que "a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (...)"

O princípio da moralidade reza, segundo Hely Lopes de Meireles, que
"o agente administrativo, como ser humano dotado da capacidade de atuar, deve, necessariamente, distinguir o Bem do Mal, o honesto do desonesto. E, ao atuar, não poderá desprezar o elemento ético de sua conduta. Assim, não terá que decidir somente entre o legal e o ilegal, o justo e o injusto, o conveniente e o inconveniente, o oportuno e o inoportuno, mas também entre o honesto e o desonesto".

Portanto, nobre jornalista, não cabe a nós, cearenses, nenhuma condescendência com a lambança do aluguel de jatinho na viagem com a sogra.

Meus agradecimentos aos dois únicos DEPUTADOS de oposição do Ceará: Heitor Ferrer e Adahil Barreto.

Cris"

Anônimo disse...

Dr. Lúcio,

Informei que havia postado no blog do Eliomar o comentário que reproduzi acima. Entretanto, como ele até às 19 horas não havia sido publicado, fiz um outro falando que, por acreditar que não existia censura lá, deveria ter havido um problema e estaria reenviando o texto.

Para minha surpresa, novamente não foi publicado. Por isso me sinto na obrigação de corrigir a informação que dei aqui.

É, parece que, hoje em dia, citar a Constituição Federal e cobrar respeito a seus preceitos virou ofensa digna de censura...

A que ponto nós chegamos...

Cris

Anônimo disse...

CARA CRIS, TAMBÉM ESTOU ACHANDO QUE O ELIOMAR NÃO ESTÁ PUBLICANDO OS COMENTÁRIOS SOBRE CID GOMES. SERÁ QUE ELE RECEBEU UM PITO DO " O POVO"?? É PESSOAL OS "TENTÁCULOS" DOS FERREIRA GOMES SÃO LONGOS E ALCANÇA ATÉ PESSOAS QUE NUNCA PUDESSE SER TOCADO PELO PODER DO CLÃ FERREIRA GOMES.

Anônimo disse...

ei, eu li no site do jornalista cláudio humberto(www.claudiohumberto.com.br), na coluna " BRONCA GERAL", um título que me chamou a atenção. Trata-se de títutlo " GREVE GERAL". Segundo um leitor, o cid gomes estaria perseguindo dos defensores públicos do ceará devido a uma AÇÃO CIVIL PÚBLICA ajuizada por um defensor público em que contesta a instalação de uma usina termelétrica movida a carvão mineral. Pois é, e é por que o cid gomes receber a comenda " AMIGO DO DEFENSOR PÚBLICO" da atual Defensora Pública Geral, dra. Francilene Gomes. Eu, hein, com um " AMIGO" desses quem precida de INIMIGOS???SRSRSR...bem feito para os defensores públicos que acreditaram nas falsas palavras dos ferreira gomes....há, dizem que os defensores públicos irão ter um encontro com cid gomes no dia 12/05, e se não vier com nenhuma proposta concreta , os defensores públicos do ceará irão entrar em greve por tempo indeterminado...

Anônimo disse...

Pois é, e é por que o cid gomes receber a comenda " AMIGO DO DEFENSOR PÚBLICO" da atual Defensora Pública Geral, dra. Francilene Gomes. Eu, hein, com um " AMIGO" desses quem precida de INIMIGOS???SRSRSR.

Não entendo porque meu comentário que afirma inexistir referida comenda não foi publicado. Isso pode perfeitamente ser comprovado e a Regina Marshall ja´noticiou. A então presidente da ADPEC concedeu comendas inexistentes, inclusive ao pai do Governador CID GOMES e isso não pode ser veiculado no blog? Quem é amigo da onça? O Governaodr CID GOMES ou quem concedeu a comenda inexistente? Esse blog é imparcial e deve publicar coisas de um lado e outro. Esses defensores aprontam e ainda vem se quixar...

Anônimo disse...

Gostaria que a imprensa investigativa e séria do Ceará investigasse se o Governador recebeu mesmo essa comenda e pagou esse mico........