quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Tiroteio

Jornalistas são arrogantes e não querem ser melhorados.
Não gostam de ouvir críticas, em nenhuma hipótese, e não querem ser melhorados.

Erros do jornal se devem à pressa, preguiça e ignorância.

O que mais fere a credibilidade do jornal não é o tipo de crítica que ele recebe, mas o tipo de erro que ele comete.

Calma, pessoal!

Quem diz isto é o jornalista Carlos Eduardo Lins e Silva, 56, ombudsman da Folha de S. Paulo há 18 meses, em entrevista publicada no mesmo jornal, no dia 23/09/09.

3 comentários:

ETC, COISA & TAL disse...

Caro Dr. Lúcio, o Lins e Silva foi na ferida dos nossos arrogantes colegas. O Noblat escreveu um livro sobre como fazer um jornal diário. Se não me falha a memória, no livro ele trata sobretudo da experiência à frente do Correio Braziliense (com z mesmo). Ele lembra um axioma que vez por outra se diz a respeito de jornalistas: "O médico pensa que é Deus; o jornalista tem certeza".

É uma piada, mas não dá para rir; porque sendo verdade é algo para profunda reflexão de todos nós jornalistas.

Vó Luisinha disse...

Dr. Lúcio,
Este seu post cai como uma luva, não é mesmo, meO Povo?

Anônimo disse...

Não é a toa que OPOVO agora faz parte de quem? Ora, UOL, mesmo grupo da Folha.