segunda-feira, 23 de março de 2009

São José

São José este ano chegou mais cedo. Não foi preciso esperar pelo dia 19 de março para sabermos se haveria inverno no Ceará. As chuvas vieram muito antes. E em abundância.

No dia consagrado ao santo, padroeiro do Estado, fui à missa dos Josés, celebrada na Sé de Fortaleza, pelo padre Brendan. Minha mãe costumava comparecer em nome do meu pai, que também era José. Também eu fui outras vezes.

Emocionei-me ao fim da missa com tantas pessoas que vieram me cumprimentar.

7 comentários:

Célio Ferreira Facó disse...

Recente nota dá conta da atualidade deste Caderno. V. abaixo.

Agradável oportunidade é o diálogo aqui praticado.

Sobretudo se se consideram os seus atributos habituais.

A correção (rara na Internet) do bom vernáculo. A crítica (inevitável neste mar de tarefas sempre adiadas de Fortaleza, do Ceará) exercida com argumentos, fatos respeitáveis.

A atualidade (compromisso fundamental) das notas publicadas. E os fatos do mundo, das artes (a literatura, sobretudo), as ciências (medicina), velhas amizades.

Sem concessões à vulgaridade (hábito lamentabilíssimo do jornalismo de hoje, da imprensa nacional e local a acomodação por baixo, pelo vulgar).

Vida longa!

Anônimo disse...

Atual governador, Cid lidera cenários no Ceará
Autor(es): BRENO COSTA
Folha de S. Paulo - 23/03/2009

Diferença para 2º colocado é superior a 15 pontos

Atual governador do Ceará, Cid Gomes (PSB) lidera com folga as intenções de voto dos cearenses para o governo do Estado. Nos dois cenários projetados pelo Datafolha Cid seria reeleito, com vantagens superiores a 15 pontos percentuais sobre o segundo colocado.
No retrovisor de Cid Gomes, disputam entre si o senador e ex-governador Tasso Jereissati (PSDB), o ex-governador Lúcio Alcântara (PR), a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), e o ex-deputado federal Moroni Torgan (DEM).
Na pesquisa espontânea, em que nomes de possíveis candidatos não são apresentados ao eleitor, Cid Gomes também lidera, com 20% das intenções de voto. Em segundo lugar, aparece seu irmão, o deputado federal e ex-governador Ciro Gomes, do mesmo partido.
Ciro não foi incluído em nenhum dos dois cenários porque a tendência mais forte, no momento, é que ele tente uma candidatura presidencial, ainda que como vice.
"A presença do Ciro na espontânea é um recall que o eleitorado tem de campanhas e de administrações anteriores. É natural que ele apareça", diz o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino.
No primeiro cenário pesquisado pelo Datafolha, Cid tem 34% das intenções de voto, com maior concentração no interior do Ceará. Tasso aparece em segundo, com 18%. Em seguida, tecnicamente empatados, vêm Alcântara (13%), Luizianne (12%) e Moroni (11%).
No segundo cenário, em que Tasso fica de fora, Cid aumenta sua vantagem para o segundo colocado. Ele tem 39%, contra 18% de Alcântara. O ex-governador segue tecnicamente empatado com Luizianne (13%) e Moroni, que oscilou positivamente três pontos percentuais, indo para 14%. Os dois cenários incluem o presidente estadual do PMDB e ex-ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, e o possível candidato do PSOL no Estado Renato Roseno.

Oberdan Sousa disse...

Boa tarde Dr. Lúcio!

Pena que estas chuvas tão abençoadas pro homem do campo, se torne um caos para o povo da periferia de Fortaleza, principalmente os que ainda residem em área de risco, e a prefeitura nada faz, todo ano é a mesma coisa.

Oberdan Sousa
Técnico e Informática

Anônimo disse...

Esse lucio é mesmo bom de voto,mesmo sem mandato ainda tem de 13 a 18% do eleitorado do Ceara.Vai enfrente se canditada a governador coragem.

Domingos Sávio disse...

Cid Gomes lidera com 39%, seguido de Lúcio Alcântara (18%), Moroni Torgan (14%).

Lúcio 18 + Torgan 14 = 32 Quem sabe num segundo turno ?

Fernando Flexa disse...

Se um cabra que dizem estar morto politicamente, tem 13% numa pesquisa eleitoral, pense quando esse "defunto" começar a se "bulir"!
Lúcio Alcântara, tu vai bombar de votos no próximo pleito.
À luta, meu doutor!!!

Célio Ferreira Facó disse...

A orientação dos céus faltando-nos de vez em quando, cumpre tentar estabelecer ao menos o Direito entre os homens.

Só isto é moderno.

Viu-se O Povo, recentemente, com o maior espanto, impedido de publicar uma reportagem jornalística.


Truculento, obscurantista que se cerceie o direito de falar, escrever, opinar.

Que dizer se se cala um jornal?

Não será uma família o que se amordaça, nem um indivíduo, nem um funcionário.

Será antes a própria Constituição Federal o que se enfrenta, denega, abala, rasga.

É um direito violentado,uma garantia desfeita.

É uma comunidade o que restará manietada, roubada na sua própria cidadania.

Este vilipêndio tem já de ser denunciado, revisto, remediado.

Ou haverá outros e outros amordaçados.