quarta-feira, 19 de maio de 2010

Correção

Em entrevista concedida ao jornal O Povo, edição de 17/05/10, o deputado Eunício Oliveira (PMDB-CE) afirmou que em 2006, quando articulava a chapa para disputar as eleições, eu teria lhe oferecido o lugar de senador e o direito de indicar o vice-governador e mais quatro secretarias de Estado.

Na verdade, admiti que ele pudesse ser o candidato ao Senado, ou à vice-governador, e a participação do PMDB no Governo, sem fixar número de secretarias. O seu apoio, além do tempo de televisão, teria importância relativa, pois, de fato, grande parte do Partido já me apoiava à revelia dele.

Nunca loteei o Governo, como fez o atual governador, retomando prática condenável há muito banida do Ceará.

Nas conversas que manteve comigo, o deputado Eunício apenas se valorizava para aumentar o preço do passe, que já acertara com o concorrente.

3 comentários:

Anônimo disse...

Dr.Lúcio,
quando li essa entrevista não acreditei em uma palavra do que o deputado Eunício disse à esse respeito. Mas, assim mesmo acho importante que você desminta esse deputado carreirista, que tem as empresas envolvidas em muita maracutaia, para que a verdade seja esclarecida.
Ricardo Pedrosa

Alexandre Damasceno disse...

A postura desse Deputado, não apenas no que se refere às declarações distorcidas que fez a respeito das Eleições 2006, estampa o oportunismo intrínseco à conduta da maioria dos políticos brasileiros - que mascaram sua incompetência e desinteresse en cuidar das causas públicas que deveriam defender (mas que sabem muito bem cuidar de seus próprios interesses e de seus grupos políticos).

Infelizmente os meios de comunicação, no cumprimento de seu papel, acabam dando espaço para que a prática da falácia e das inverdades ganhe corpo, ao mesmo tempo em que limitam (às vezes até impedem)a ampla divulgação dos graves atos e fatos associados à conduta desses "senhores", de seus funcionários (inclusive os comissionados de seus gabinetes) e principalmente de suas empresas.

Esperamos que o pleito de 2010, especialmente nas eleições majoritárias, dê espaço para a apresentação e discussão desses atos e fatos, que precisam ser melhor conhecidos pela população - para que os cearenses não incorram no erro de mais uma vez eleger candidatos que sequer deveriam ter seu registro autorizado pelo TRE.

O eleitor cearense não pode mais se nutrir da conversa fiada nem das promessas falsas de certos candidatos. É preciso levar em conta os projetos formalmanete apresentados - e principalmente o curriculo dos candidatos (posto que o de muitos está mais para "folha corrida" - e bem recheada!).

Isolda disse...

É sempre bom restabelecer a verdade.
Em Lúcio confiamos, já em Eunício...