sexta-feira, 22 de maio de 2009

Primavera

Em Lisboa, as ruas e os jardins estão coloridos pelas mãos da primavera.

Sobressaem, lindas, as copas roxas dos jacarandás.

Indiferentes às mazelas do mundo, obedientes ao ritmo da natureza, as cores florescem para embelezar o ambiente e tornar a vida mais alegre.

5 comentários:

Domingos Sávio disse...

Boa tarde Dr. Lúcio. Que beleza !!! Dá vontade ver de perto.

Anônimo disse...

homi, presta atenção nos desabrigados antes de falar que a natureza é bela

Anônimo disse...

A natureza é bela sim, pode até ser violenta nas suas manifestações, mas o homem é que a maltrata e ela somente retorna ao homem aquilo que recebe.

Oberdan disse...

Quem tem que se preocupar com os desabrigados é o governo meu caro anônimo...

Oberdan

Célio Ferreira Facó disse...

Sejam assim ruas, jardins e primavera de Portugal.

É país europeu, de povo e governo algo mais sensatos que, por exemplo, os desta Fortaleza, deste Ceará.

Todos sabem da precariedade da atual administração municipal da Cidade e da má condição das vias públicas. Pior ainda desta sua geografia plana, que quase a predispõe a inundar-se com um chuvisco.

Foi mais ou menos tudo isto que por pouco não enterrou há pouco dois carros e passageiros.

O Povo e o Diário do Nordeste o documentam. Este com sobriedade, seriedade, como parecem merecê-lo o acidente e a situação.

O Povo, porém, quis fazê-lo com sensacionalismo, exagerando, multiplicando fotografias, encarecendo uma retórica apenas apelativa: “Poderia ser... seu carro... você”. Sacrifica até o espaço das outras manchetes.